terça-feira, 18 de dezembro de 2007

«Chuva»

(parecia ter um guarda-chuva vermelho,
mas tinha a imagem dos teus lábios sobre mim)
Choveu hoje dentro de mim
Sem mácula alguma
Acreditei

Sim, choveu e recebi-te
De braços abertos,
Gotas e gotas
Em pálidos desertos

Construí-te por dentro
De alma fechada
Com portas e tudo

Construí-te assim
Com tudo e com nada...

6 comentários:

Maria del Sol disse...

"Construí-te por dentro
De alma fechada
Com portas e tudo"

O melhor da chuva é mesmo o recolhimento.

Obrigada por deixares escorrer na blogosfera estas gotas de ti :)

Beijinhos

verdades_e_poesia disse...

Obrigado eu pelos teus comentários sempre tão queridos e pertinentes ;) Gosto imenso de te ver por aqui. Beijinhos

Maria del Sol disse...

Fico tão feliz por ser bem recebida no teu espaço como por sentires que a minha "casa" virtual é acolhedora :)

Desculpa se dei impressão de não ligar ao teu desafio mas apesar do ano já estar perto do fim ainda estou bastante indecisa. É tão difícil limitar a minha escolha a cinco álbuns como, entre esses, criar uma hierarquia. Prometo que a seguir ao Natal a minha selecção já está feita e publicada ;)

Beijinhos

a dona do blog disse...

temos poeta.

verdades_e_poesia disse...

Ok Maria del Sol. Fico à espera então pela tua selecção ;) Beijinhos

.............................

Obrigado 'dona do blog'. Não sei se me cabe tão arrojado elogio. Bem vinda e volta sempre que quiseres.

Maria del Sol disse...

Já publiquei o meu "best of" de 2007. Quando quiseres vai lá espreitar ;)

Beijinhos!