sexta-feira, 10 de agosto de 2007

«Regresso»

Sinto uma frieza em ti
que me deixa inquieto.
Pensar só o que poderias ter...
Tão somente ter-me por perto.

Mas vejo-te constantemente longe
não sei o que se passou ao certo.
Sei que não foi nenhum monge
que te feriu e deixou num deserto.

Queria poder abraçar-te
e ver teus espinhos caídos.
Sentir tua brisa de novo
por me teres e eu te ter em sorrisos.

2 comentários:

Natércia disse...

Uma poesia lindíssima! E só poderia ter sido escrita por alguém com verdadeira alma de poeta! Beijinhos

delia disse...

oi, como sempre teria que vir de um poeta.
beijinhos