segunda-feira, 14 de abril de 2008

«Olhar»

Senti-te assim, logo pela manhã
Caí de um abraço teu
Na brisa do teu olhar
Vislumbrei um pedaço meu

E voltei a cair por tudo,
Por tudo
O que teu olhar me deu

Imagem: Nathan Alexander

5 comentários:

delia disse...

Tá lindo...quem será a sortuda
: ) beijo

. disse...

Os teus poemas enchem-me a alma. E que rico passeio, Praga-Lisboa. A vida bem vivida. Luz

Vanessa disse...

ai... esses olhares... caímos quantas vezes forem precisas, né? :)

[ Who can be sure of anything through the distance that keeps you from knowing the truth? ]

música linda...

beijinhos*

verdades_e_poesia disse...

Beijocas Delia.

........................

Luz, foi bom esse passeio sim. E por tantos motivos... Fico mesmo contente por gostares do que escrevo. Beijinhos ;)

------------------------

Sim Vanessa, a menina Feist faz destas coisas. Beijos

ema disse...

os olhares matam, de facto.